Notícias

10/03/2020 11:10

#SetorialAudiovisual - Atriz de "As aventuras de Poliana" ministra workshop de Audiovisual no sertão da Bahia

Foto: Divulgação

Promover o desenvolvimento profissional, sociocultural e pessoal de jovens por meio do Audiovisual, este é um dos objetivos do projeto "Luz, Câmera, Sertão!" que realizará uma série de cursos inteiramente gratuitos na área da produção audiovisual, desenvolvido para jovens, agentes culturais, produtores, gestores e artistas residentes nas cidades de São Domingos, e região do Sertão da Bahia.

O lançamento oficial do projeto acontece no dia 9 de março às 19h, na Ocupação Cultural Dona Nêga, no distrito de Santo Antônio - São Domingos/BA. Com a Mesa de Conversa: "O Cinema como Ferramenta de Transformação Social", com a presença dos orientadores e convidados representantes do mercado audiovisual. Em seguida apresentação de reisado do "Grupo da Alegria".

Os interessados terão a oportunidade de escolher entre os 05 cursos e 3 workshops oferecidos pelo projeto: Cursos: Produção Audiovisual; Direção de Arte; Direção de Fotografia; Áudio e Edição e Montagem. Workshops: Carreira Artística na Indústria Audiovisual e Redes Sociais; Fotografia e Produção de Conteúdo Audiovisual com Celular.

Os profissionais que ministrarão os cursos foram escolhidos pela competência e profissionalismo, todos com vastas experiências na área do Audiovisual. E nesse projeto haverá a participação da atriz Rafaela Ferreira, que interpreta a personagem Nanci de "As Aventuras de Poliana", a qual ficará responsável por ministrar o workshop Carreira Artística na Indústria Audiovisual e Redes Sociais, além de assumir a produção executiva do projeto.

A TV Pelourinho ficará responsável por ministrar parte dos cursos. Desde 2007 a ONG desenvolve projetos com o objetivo de capacitar jovens em estado de vulnerabilidade social na cadeia produtiva do audiovisual. Beneficiar os jovens, capacitando-os profissionalmente é a meta da ONG. Esta capacitação é subsidiada pela construção de uma grande rede solidária e social que sustentaria o Projeto.

De acordo com o idealizador e produtor cultural do projeto, Paulo Freitas "o projeto oferece às comunidades de diferentes níveis sociais, a possibilidade de participação em atividades culturais, principalmente as comunidades mais longínquas dos grandes centros urbanos. É a partir desta perspectiva que o projeto "Luz, Câmera, Sertão" busca promover o fortalecimento da identidade cultural e da cidadania no território do sisal no Sertão da Bahia, capacitando os participantes para produzir projetos culturais audiovisuais, bem como,  refletir sobre a história, memória e identidade da região".

Por ser um componente essencial para o desenvolvimento humano, a cultura assegura aos grupos a noção de pertencimento e garante ao cidadão a segurança do convívio coletivo. Neste contexto, as manifestações culturais, além de propiciar lazer e conhecimento, fortalecem laços que reforçam o convívio social e contribuem para que os processos de mudanças sejam mais assimilados e aproveitados pela comunidade.

A cultura tem um papel transformador e é cada vez mais importante no contexto social. A proposta é oferecer aos participantes os conhecimentos teóricos, práticos e artísticos necessários ao processo de edição para norteá-los num percurso profissionalizante no segmento do audiovisual.


Economia Criativa

O projeto Luz, Câmera, Sertão! Além de ser um espaço de ensino e aprendizagem que contribui para a circulação, distribuição e exibição de expressões das juventudes rurais e urbanas que podem vivenciar o audiovisual como forma de transformação também fortalece e articula redes produtivas com geração de renda, através da economia criativa, outro benefício social que vem das manifestações culturais e artísticas.

Essa experiência reconhece e valoriza os saberes, a cultura e a criatividade dos jovens e se articula com os novos conhecimentos operacionais e especializados da área e tem como objetivo promover o desenvolvimento profissional no universo do audiovisual e da economia criativa, propiciando uma articulação que estimula a autonomia e visa a inserção de jovens no mercado de trabalho.

Os cursos propostos pelo projeto vêm de encontro à demanda por capacitação artística e cultural no Sertão da Bahia. Artistas e gestores existem em todos os lugares, mas nem todo cidadão tem acesso ao aprendizado necessário para aprimorar seu talento. O projeto oferece ao cidadão a possibilidade de potencializar seu talento natural com aulas ministradas por orientadores experientes do setor audiovisual.


Valorização da cultura local

Como forma de exercício prático os alunos irão produzir um mini documentário sobre a história do grupo Reisado da Alegria, antigo Reisado de Moça do Distrito de Santo Antônio, que pertence a Cidade de São Domingos. O grupo Reisado da Alegria, surgiu em 1949 e em 2019 completou 70 anos de existência. Cada curso trabalhará uma etapa do processo de acordo com sua área de atuação.

O grupo Reisado da Alegria Chama a atenção de toda a população até os dias atuais, pois estas mulheres cantam, tocam e lideram as cantigas de reis, que sempre são seguidas por um samba, assim como em todas as manifestações ligadas ao campo, com um ritmo mais frenético e com versos que se repetiam inúmeras vezes com muita alegria. Trata-se de um episódio pouco comum em meio a uma sociedade extremamente guiada e liderada por homens, mesmo em manifestações culturais há uma divisão bastante nítida que é retratado nos versos das cantigas.

A partir dessa contextualização, o projeto transmitirá os saberes aos jovens que irão participar dos cursos e permite a preservação de uma atividade cultural tradicional e importante para o público em geral. A Folia de Reis constitui hoje não somente um patrimônio histórico-cultural, mas um patrimônio espiritual capaz de mobilizar o calendário de algumas cidades brasileiras para abrirem espaço à tal festividade. Por meio do ato de bondade de cada visita às casas dos moradores locais, essa tradição contribui para que consigamos uma convivência coletiva mais organizada e mais humana, no sentido de solidariedade e respeito ao próximo. Diante deste cenário rico em cores, sons e tradições, há o risco de perdermos essa cultura para as próximas gerações, que muitas das vezes, não conhecem a riqueza dessa tradição.

A iniciativa é uma idealização do Produtor Cultural Paulo Freitas e é viabilizada por meio do Edital Setorial de Audiovisual, com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural do Estado da Bahia e Secretaria de Cultura da Bahia.

Maiores informações acesse o link
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.