Notícias

17/06/2019 13:23

Estudantes de Audiovisual, Cinema e TV visitaram acervo da Cinemateca da Bahia

1

A Cinemateca da Bahia, administrada pela Diretoria de Audiovisual da Fundação Cultural da Bahia (Dimas/Funceb), está aberta a visitação - com agendamento prévio - proporcionando às pessoas um maior conhecimento a respeito da importância de preservação e difusão da memória cinematográfica baiana e brasileira. Acesse o site www.dimas.gov.ba.br para solicitar serviços à Cinemateca da Bahia.

No inicio do mês de junho, a Cinemateca recebeu a visita de uma turma do curso de Audiovisual, Cinema e TV, promovido pela Fundação Gregório de Mattos através do projeto Boca de Brasa. Juntamente com as professoras Dayane Sena e Fabíola Aquino, os alunos tiveram a oportunidade de visitar as instalações e o acervo da Cinemateca, além de conhecer a Sala de cinema Walter da Silveira, gerida pela Dimas.

“A gente resolveu sair um pouco da teoria e prover um tanto de experiência prática a eles, para que conhecessem um pouco da história do cinema baiano, principalmente”, explicou Dayane. “Como eles moram em bairros periféricos, eles não têm equipamentos ou projetos relacionados ao cinema, próximo de casa. Então resolvemos proporcioná-los essa oportunidade de visitar dois equipamentos do estado, que é a Dimas e a Sala Walter da Silveira”, completou a professora.

1
Conscientização

Os alunos foram recepcionados pela coordenadora da Cinemateca, Simone Lopes, que guiou a visita e forneceu informações importantes sobre a Cinemateca e seu espaço, além de Rute Mascarenhas, assessora de difusão, que acompanhou a turma em toda visita e durante a mostra na Sala Walter da Silveira.

Para o aluno Emerson Souza essa atividade foi muito construtiva. “Na cinemateca eu aprendi como os filmes eram feitos e que existia um processo para fazer edição de vídeo e áudio que é diferente da forma que é feita hoje, além de ver uma diversidade muito grande de equipamentos que eu não conhecia”, relatou.

1Ágata Santos, também aluna do curso, se mostrou muito contente ao participar da visita: “amei conhecer os equipamentos antigos e saber como era o funcionamento deles. Além de conhecer como é feito o armazenamento das fitas, películas e cartazes dos filmes”.

A professora Fabíola Aquino explicou a importância da atividade: “a gente está trazendo noções de produção audiovisual e cinema pela primeira vez para muitos deles que poucas vezes saem do próprio bairro. A ideia da atividade era poder fazer uma imersão em ambientes tão ricos de informação como é a Cinemateca da Bahia e todo acervo contido nela, e especialmente também a experiência de uma sala escura de cinema que é inédita pra muitos deles”.


Ela ainda ressaltou: “era uma coisa que estava prevista e que a gente desejava muito porque sabe do resultado positivo que pode repercutir nos alunos”.

Mostra Espelhos D'África

Além da visita à Cinemateca, os alunos completaram a atividade participando da Mostra Espelhos D’África na Sala Walter da Silveira. A mostra realizada em comemoração ao dia da África exibiu cerca de 30 filmes dirigidos por cineastas de países como Nigéria, Senegal, Serra Leoa, Congo, Burkina Faso, Marrocos e outros, trazendo produções que fogem dos temas convencionais de representatividade do continente africano, apresentando olhares diferenciados sobre a realidade, a espiritualidade, a arte, o urbano e o pensamento contemporâneo.

Dentre esses filmes os alunos assistiram a Take Light, de direção Shasha Nakhai, que conta a histórias de moradores da Nigéria, que apesar de possuírem grande quantidade de petróleo, vivem em uma grave crise de energia elétrica.

A professora Dayane ressaltou: “a ideia de que eles viessem conhecer a Sala Walter que é uma sala pública, e que muita gente não conhece e não sabe de suas exibições gratuitas de filmes”. Ela também destacou a relevância da mostra: “foi super importante por causa questão do reconhecimento, é significativo a gente mostrar filmes com pessoas parecidas com eles esteticamente e também pela questão do tema do filme que é a crise de energia na Nigéria.O filme é dirigido por uma mulher e é importante para eles saberem que o universo do cinema não esta restrito apenas a diretores homens”.

1

O filme proporcionou aos alunos uma reflexão sobre suas realidades. Ágata afirmou: “foi muito produtivo o filme que fala também sobre uma questão de poluição do ar e a eletricidade a gás, e eu que sou de uma periferia que tem muita dificuldade financeira, achei ótima a oportunidade que tivemos de conhecer esses espaços e ter a chance de entrar contato com a cultura de outros povos e quem sabe assim dar uma solução para nossas comunidades”.

Projeto Boca de Brasa

O projeto Boca de Brasa é uma iniciativa da Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FMG), órgão vinculado a Secretaria de Cultura e Turismo (Secult). Desde 2013, a fundação desenvolve ações que visam à promoção e produção cultural pelos diversos pontos da cidade, no intuito de descentralizar as atividades em Salvador. O curso de audiovisual Cinema e TV, comandado pelas professoras Dayane e Fabíola, teve início no final de março e será ministrado até dezembro dentro das oficinas Subúrbio 360, em Vista Alegre, e Céu de Valéria, em Valéria.

Fotos: Rute Mascarenhas
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.