Notícias

17/05/2018 10:00

Sessão Cine Horror resgata primeiro longa-metragem de Francis Coppola

13
"Demência 13": filme de Coppola ressalta as nuances mais sombrias da natureza humana (Foto: Divulgação)

Todo mundo conhece o cineasta norte-americano Francis Ford Coppola, seja pela clássica trilogia ''O Poderoso Chefão'' ou pelo cultuado ''Apocalipse Now''. Mas antes da consagração em Hollywood, Coppola realizou uma pouco difundida obra-prima, que vale a descoberta e revisão: ''Demência 13'' (Dementia 13, EUA/ING/IRL, 1963). O filme é destaque na Sessão Cine Horror, dia 6 de junho, às 18h30, na Sala Walter da Silveira, com entrada gratuita.

Uma cena, um filme
Conta a lenda que o jovem Coppola, recém-saído da Universidade de Cinema de Los Angeles (UCLA), conseguiu convencer o famoso produtor Roger Corman, especialista nos chamados filmes B, a financiar ''Demência 13'' sem mostrar sequer um roteiro completo. O realizador teria apresentado somente uma cena, mas a sequência tinha tudo a ver com o cinema de Corman: Tarde da noite; um homem sozinho à beira de um lago. Ele tira cinco bonecas de dentro de uma bolsa e as amarra juntas com um barbante. Depois de tirar a roupa; mergulha no lago, nadando cada vez mais fundo com as bonecas, que pretende deixar submersas. Ele completa sua tarefa e está prestes a retornar à superfície quando enxerga o corpo bem preservado de uma menina de sete anos de idade no fundo das águas. O produtor amou a ideia. ''Troque o homem por uma mulher'', teria dito a Coppola, ''e você poderá fazê-lo''.

Assim, nascia um cult de atmosfera lúgubre e que, mesmo diante das precárias condições de produção, continua a impressionar gerações de cinéfilos. Para Ana Lima, professora de filosofia da UFBA e curadora da Sessão Cine Horror, o estilo gótico do filme ressalta as nuances mais sombrias da natureza humana. ''É o fascínio que nos prende a 'Demência 13', pois vemos a nossa essência ali exposta, dilacerada.'', complementa a docente.

A despeito da presença de um assassino, munido de um machado, nas imediações do Castelo Haloran - durante o ritual de aniversário da morte de Kathleen Haloran - o que mais assombra no filme, como observa Ana Lima, é a disfuncional dinâmica em família, retratada por Coppola. ''O grande drama familiar parece estar acima de qualquer martelada sangrenta. Vê-se que o tema, a celebração da morte, não é mais que um aspecto secundário diante de toda a conjuntura esfacelada de uma estrutura familial'', analisa a curadora da sessão.

Cine Horror
A exibição de ''Demência 13'' integra as atividades do III Cine Horror, festival de cinema fantástico com foco na produção brasileira no gênero, que acontece em outubro, em Salvador. Este ano, o tema do evento celebra os 200 anos de publicação do romance de Mary Shelley, ''Frankenstein''. Na ocasião, uma mostra especial vai reunir algumas das mais célebres adaptações cinematográficas do livro.

Sobre o filme

Demência 13 (Dementia 13, EUA/ING/IRL,1963)
Direção:
Francis Ford Coppola
Elenco: William Campbell, Luana Anders, Bart Patton, Mary Mitchell, Patrick Magee e Eithne Dunn.
Duração: 75 minutos
Classificação: 16 anos
Sinopse - ''Demência 13'' conta a história de uma maldição envolvendo uma nobre família irlandesa que vive no enorme Castelo Haloran, uma edificação de pedra no melhor estilo gótico que foi atingida pela tragédia da morte de Kathleen, uma criança que se afogou no lago da residência quando brincava com seu irmão Billy. Após o acidente fatal, a família se separou, ficando apenas a matriarca Lady Haloran vivendo no castelo com seus criados Arthur e Lillian. Porém, a família, formada ainda pelos irmãos John, o escultor de estátuas Richard e o jovem Billy Haloran, reúne-se todos os anos para celebrar o memorial da morte da irmã Kathleen. Passados alguns anos da morte da garota, quando a família se encontra novamente para mais um memorial, um assassino começa a atuar nas imediações do castelo utilizando um machado para dilacerar suas vítimas.

Serviço
Sessão Cine Horror  exibe "Demência 13", de Francis Ford Coppola. Dia 6 de junho, às 18h30. Entrada franca

Onde
Sala Walter da Silveira (Rua General Labatut, n 27 - subsolo da Biblioteca Pública dos Barris - fone: 3116-8124)
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.