Cineclube Walter da Silveira

Fiel ao legado de um dos grandes pensadores do cinema baiano, formador de uma geração de cineastas e cinéfilos, a Diretoria de Audiovisual da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Dimas/Funceb) lançou, em julho de 2015, o Cineclube Walter da Silveira.

A proposta dessa iniciativa é celebrar o legado de Walter da Silveira por meio de um dos seus principais instrumentos de formação: o cineclubismo. Advogado, professor, escritor, ensaísta e crítico, Walter da Silveira teve como seguidores jovens que iriam a se consagrar no cinema posteriormente, como Roberto Pires, Glauber Rocha e Guido Araújo. Para além da crítica cinematográfica, ele reconheceu no cineclube um caminho para aproximar o público ao debate sobre a sétima arte.

O Clube de Cinema da Bahia, fundado em 1950, reunia, em sessões matinais aos sábados, universitários, estudantes secundaristas, intelectuais e futuros cineastas. Foram longos anos de exibições no Cine Guarany (hoje o Glauber Rocha), com uma série de filmes de grande validade artística, obtidos pelo próprio Walter da Silveira junto a diversas cinematecas ao redor do mundo.

Entre os filmes exibidos, estão desde clássicos dos anos 50 e 60, como "Pierrot, Le Fou", de Jean-Luc Godard, "Rashomon", de Akira Kurosawa, até títulos dos anos 90, como "Barton Fink - Delírios de Hollywood", dos irmãos Coen, e "Ondas do Destino", de Lars Von Trier. As exibições são acompanhadas de debates, sempre com participações de críticos, professores e pesquisadores da área de cinema.  

As sessões do Cineclube Walter da Silveira serão realizadas mensalmente, com datas, horários e programações a serem divulgadas na página do facebook: http://www.facebook.com/cineclubewalterdasilveira.

 

 


 

 

Recomendar esta página via e-mail: