Notícias

26/04/2021 11:30

#AldirBlanc - Afrocidade lança o videoclipe da faixa Baby te Liguei no dia 29 de abril no youtube

foto: Divulgação

No dia 29 de Abril às 19h o grupo Afrocidade lança o videoclipe da faixa Baby te Liguei, no canal do grupo no Youtube, com roteiro e direção assinados pelo cineasta baiano Edvaldo Raw, e produzido pela Isé.
Tocada pela primeira vez no Coala Festival em São Paulo, “Baby te liguei” é uma música composta por MCDO, Fernanda Maia e Eric Mazzone, e produzida por Mahal Pita. Esta primeira love song do grupo acaba de tomar forma audiovisual.

Segundo Edvaldo, "a história retrata um casal que sofre com a distância, e que através da dança consegue expressar os vários sentimentos que passam pela nossa cabeça quando estamos longe da pessoa amada
".

Os personagens do clipe são interpretados pelo multi-artista Virus e o ator camaçariense Caíque Copque, que juntos performam esse romance, trazendo à tona a sinceridade dos movimentos corporais.

O videoclipe terá uma exibição exclusiva no Music Vídeo Festival, através do twitch.
A música ultrapassou os 150 mil players nas plataformas digitais, e faz parte do EP “Afrocidade na Pista”, lançado em Janeiro deste ano.

O videoclipe "Baby te Liguei" tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Sobre o Afrocidade

É bastante sugestivo dizer que a banda Afrocidade nasceu de um encontro de percussionistas. Isso porque, em 2011, o núcleo de Música na Cidade do Saber, no município de Camaçari - Bahia, ofereceu oficinas de percussão e foi neste momento que os primeiros integrantes se conheceram e fundaram o grupo. Sendo assim, fica evidente que os ritmos percussivos, presentes em diversos gêneros, são as bases para a formação da identidade musical da banda.

O som resulta das mais variadas expressões da música negra, “É uma mistura de letras politizadas, com ritmos populares como o arrocha e o pagode, além da música afro, dub jamaicano, o reggae, o ragga e o afrobeat, por exemplo”, explica Eric Mazzone, criador da banda. Além de saudar os tambores da África, o Afrocidade reafirma em suas letras a força, importância e influência direta dos valores étnicos baianos e brasileiros.

Atenta ao cotidiano ao seu redor e às questões vividas no dia a dia, a banda Afrocidade traz reflexões ainda sobre a desigualdade e consciência negra, expressando sua ótica sobre o mundo.

A banda é formada pela dupla de bailarinos Guto Cabral e Deivite Marcel, MCDO (vocal), Eric Mazzone (bateria e direção musical), Fernanda Maia (percussão e vocal), Sulivan Nunes (teclado), Fal Silva (Guitarra), Marley Lima (baixo), Manchinha (percussão), Rafael Lima (percussão). Uma Big Band com referências e musicalidades distintas que formam uma unidade.

Com um disco e um EP na carreira o grupo se prepara para lançar seu segundo disco, no segundo semestre de 2021.
Influências, vale destacar que elas permeiam vários universos musicais. 
"Toda a música da Bahia influencia a construção do nosso som. Desde grupos como Ilê Aiyê e Malê Debalê até Igor Kannário; de Rumpilezz até Silvano Salles; de Timbalada a Fela Kuti. Acompanhamos os cenários musicais local e nacional. Desde a cena cultural de Recife a Belém do Pará. Além de muito rap nacional e internacional", conta o baterista.


ACESSE O YOUTUBE

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.