Notícias

26/03/2020 13:20

Preservação do acervo de películas é trabalho constante na Cinemateca da Bahia

Foto: Divulgação
Lançada em abril de 2019 pela Fundação Cultural do Estado, através de sua Diretoria de Audiovisual (Dimas/Funceb), a Cinemateca da Bahia visa preservar a memória do audiovisual baiano, salvaguardar bens materiais e imateriais, além de estimular a pesquisa e dinamizar o acesso do público. A Cinemateca reúne atualmente o mais importante acervo do segmento do estado, composto por aproximadamente 10 mil itens, entre DVDs, livros, fitas, rolos de filmes,  películas, cartazes, revistas, boletins, guias e outros.

Tratando-se apenas de filmes, a Cinemateca salvaguarda 10.485 títulos registrados em diferentes suportes: película (super 8, 8mm, 16mm e 35mm); analógico (betacam, U-matic, fitas master, VHS e SVHS) e digital (DVDS, HDCAM, DVCAM e Blu-Rays). São obras dos mais diversos gêneros e procedências, que perfazem a produção audiovisual brasileira da década 1920 aos dias atuais.

Dentre todo esse acervo, existe um suporte que demanda uma atenção especial na hora da preservação: as películas. É o que explica o técnico em preservação da Dimas, Armando Júnior: "todos os suportes precisam de atenção e cada um tem a sua particularidade, mas sem dúvida, as películas são as que exigem mais cuidado".

Foto: DivulgaçãoO técnico explica que a acervo fica isolado numa reserva técnica, separado de todos os outros suportes e bem longe do fluxo de pessoas. "De um modo geral, as pessoas não têm acesso a esse local. Eu só entro para retirar o material para a análise, e se for para exibição, há uma análise novamente antes de retornar para o acervo. A entrada de pessoas na sala desestabilizaria a estrutura de acondicionamento da sala, que não pode ter variação climática superior a 1 ou 2 graus por dia, de acordo com as orientações da Cinemateca Brasileira, que seguimos rigidamente".

Armando Júnior ainda explica que "a sala onde ficam as películas precisa estar climatizada abaixo de 20 º, além da umidade relativa do ar abaixo de 60%, para a não proliferação de fungos e bactérias, e está localizada longe do fluxo de pessoas. A análise do acervo acontece constantemente, durante todo o ano, para eliminar o ácido acético que o suporte costuma liberar com o tempo, e já acontecia mesmo antes da inauguração da nova estrutura da Cinemateca".

Mesa enroladeira

Em setembro de 2019 foi adquirida pela Dimas uma mesa enroladeira horizontal,Foto: Divulgação desenvolvida para corrigir problemas como escapamento do filme, comum a mesa enroladeira vertical. Sobre a aquisição, o técnico discorre: "é um item essencial para o processo de preservação, traz segurança para o trabalho de análise técnica e dá mais rapidez à apuração de toda extensão do material, facilitando a detecção de defeitos e limpeza das películas".

De acordo com o técnico, futuramente será formada uma comissão de preservação para avaliar se as películas que já se encontram deterioradas, serão restauradas ou afastadas definitivamente do acervo, ouvindo os detentores dos direitos autorais. "Por enquanto, estamos fazendo registros fotográficos e colhendo informações diversas sobre estes materiais, visando melhor aproveitamento das películas", finaliza o técnico.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.