Notícias

21/05/2018 15:50

2º Festival de Arte para Infância e Juventude é atração de 26 de maio a 3 de junho

mergulho
Espetáculo "#Mergulho" é uma das novidades do PETIZ 2018 (Foto: Max Reinert)

De 26 de maio a 3 de junho, o II PETIZ - Festival de Arte para Infância e Juventude promove, em vários espaços culturais da cidade sua Mostra Artística. O evento, que contempla espetáculos de teatro, dança, música e circo, além da linguagem do audiovisual; é voltado para o público infantojuvenil (2 a 12 anos). A programação promete ser intensa com grupos e artistas da capital e interior baiano e de outros Estados, todos selecionados através de edital de abrangência nacional. As apresentações de artes cênicas vão movimentar o Teatro Martim Gonçalves, com ingressos a R$20 e R$10.

Na abertura do Festival, dia 26/05, às 16h, o grupo Canastra Real - Contos Em Cantos (BA) apresenta "Toada Crianceira - o cancioneiro brincante da infância", show com repertório de canções e textos de tradição oral, como acalantos, brincos, lenga-lengas, trava-línguas, adivinhas e desafios, alternando canto com momentos de interação e de vivência compartilhada dos brinquedos cantados. A proposta da apresentação é sensibilizar o público para a necessidade de tecer uma sociabilidade infantil mais lúdica, evidenciando que ser criança é algo natural e viver a infância é algo cultural, que se pode aprender e ensinar.

Nos dias 27/05, às 16h e 28/05, às 9h e 10h, o público vai ter a oportunidade de assistir "#Mergulho - experiência teatral para crianças", do grupo Eranos Círculo de Arte, de Santa Catarina. O espetáculo conta a história de duas pessoas que vivem em universos diferentes e que buscam com a ajuda da plateia, se encontrar. Utiliza como ferramenta técnica a projeção digital atrelada ao som e permite uma série de possibilidades de interação entre cena e plateia. Em 2015 o espetáculo ganhou o prêmio Myriam Muniz e já participou de importantes festivais como o FIL - Festival de Intercâmbio de Linguagens (RJ), FILO - Festival Internacional de Londrina (PR) e o X FITA Floripa - Festival Internacional de Teatro de Animação.

O circo também tem espaço na programação do Festival Petiz. No dia 29/05, com sessões às 9h e 15h, o Núcleo Circo Único & Condão de Rainha (BA) traz os encantos da palhaçaria em "O Jardineiro", com direção do premiado João Lima. O espetáculo é interativo e congrega música e teatro para dar vida à singela história de um palhaço jardineiro que semeia flores e risos por onde passa. Violoncelo, violão, escaleta, trompete, caixa clara são alguns dos instrumentos utilizados nesta montagem, em que música e cena caminham juntas para fazer brotar não só flores, mas o encanto e o riso em todos aqueles que queiram se deixar tocar pela alma do palhaço.

No dia 30/05, o Coletivo Duo (BA) se apresenta com o espetáculo inspirado em um conto de José Saramago, "Em busca da ilha desconhecida", com sessões às 15h e 19h30. O musical passeia nas tradições, musicalidade e teatralidade da cultura popular ibérico-nordestina e traz como temática o poder dos sonhos e da imaginação. O Coletivo já participou de festivais como Festival Itinerante de Teatro Latinoamerciano Ambar - FITLA e Festival Internacional Latinoamericano de Teatro da Bahia - FILTE.

Convidados

Este ano, além dos espetáculos selecionados através do edital, o festival convidou dois grupos para integrar a programação. Com 15 anos de trajetória, o Finos Trapos (BA), conhecido por trazer em seus trabalhos o teatro contemporâneo, com o sotaque regional fundamentado no imaginário da cultura de tradição popular nordestina, apresenta, no dia 31/05, às 17h,"Ponta d'areia, Pedaço do céu", uma fábula cênica-musical que envolverá jovens e crianças nas aventuras do velho Filó e sua neta Tatá na busca por um metal raro, que servirá para a construção da Geringonça, uma máquina extraordinária que os permitirá viajar espaço para descobrirem os segredos escondidos das estrelas. Este ano, o Finos Trapos completa 15 anos de trajetória e este é o primeiro espetáculo infantil, em caixa cênica, estreado pelo grupo. Já no dia 1º/06, às 15h, é a vez do Coletivo Trippé (BA), da cidade de Juazeiro, convidado a trazer o espetáculo de dança, "Meu Querido Catavento". Em cena, os personagens criam e recriam a lógica dos significados. Panelas são capacetes, caixas são balões e até as sacolas ganham vida. A proposta desta apresentação é possibilitar às crianças uma alternativa às brincadeiras massificadas pelos eletrônicos, levando à cena diversos jogos que utilizam a imaginação e reforçam que a criatividade não depende da tecnologia.

O encerramento do Festival fica por conta do renomado Circo da Silva, grupo com sede em São Paulo, liderado pela atriz gaúcha Paula Preiss e pelo músico chileno Arturo Cussen. "HumAnimal" mescla teatro, música, dança e manipulação de objetos, estimulando sentidos e percepção de crianças e bebês. O espetáculo, sem fala, brinca com as invenções e transformações a partir do que parece "o nada", mas revela, em surpresas, um mundo novo e único! As performers transitam pela fina fronteira que há entre o ser humano e o animal, conduzidas pelo universo musical. O Circo da Silva atua na cena cultural sul-americana desde 2005, e traz no trabalho da atriz o eixo do teatro físico e no trabalho do músico a ampla pesquisa em música latino-americana, pontuando o drama dos espetáculos com ritmos ricos e vibrantes. O grupo se apresenta no Petiz nos dias 2/06, às 16h e 3/06, às 11h.

Paralelo à grade de programação artística, o Festival vai promover bate-papos sobre Mediação Cultural com Ney Wendel, doutor e mestre em artes cênicas, mediado pela atriz e produtora cultural Isabela Silveira; bate-papo sobre Produção Artística e Educação, com Claudio Cajaíba da Escola de Teatro da UFBA e Daiane Silva, da Rebento Filmes; Oficina "Corpo e Ludicidade", com Coletivo Trippé; Piquenique com histórias, com a Cia Pé de Causos - Trupe de Contadores e Sessões de Cinema, na Sala Walter da Silveira. Programação completa no site do projeto www.festivalpetiz.com.br

Contemplado no edital Dinamização de Espaços Culturais da Bahia 2016, o PETIZ tem o propósito de potencializar a fruição artística no processo que envolve o encontro da criança com a obra e é uma idealização da C.R.I.A.R.E - Projetos Culturais e Educacionais, coordenada por Poliana Bicalho, arte-educadora, produtora e mediadora cultural em conjunto com a BERÊ PRODUÇÕES, coordenada por Renata Berenstein, psicóloga, arte-educadora e diretora teatral.

Serviço
2ª edição Mostra Artística - Festival de Arte para Infância e Juventude

Quando
26 de maio a 3 de junho

Locais
Teatro Martim Gonçalves (Avenida Araújo Pinho, nº 295, Canela) / Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia – UFBA / Sala Walter da Silveira (Rua General Labatut, 27-subsolo da Biblioteca Pública dos Barris)
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.