Notícias

27/12/2017 15:10

#PratadaCasa - Da dança ao audiovisual, uma só paixão: a produção cultural

rute
Foto: Luis Lima

Há quase dez anos, Rute Mascarenhas ingressava na Fundação Cultural do Estado da Bahia, por meio do curso profissionalizante da Escola de Dança da FUNCEB. Disposta a percorrer todos os estágios do fazer cultural até se formar em 2012, engajou-se em residências artísticas e intervenções urbanas, com militância na reflexão em torno das políticas públicas para a área. Pelo espírito inquieto e versatilidade natural, uma coisa era certa: ela não queria parar por aí.

Ao interesse e disciplina dedicados à dança, foram se somando outros desafios e projetos, como o audiovisual. Rute também fez parte da equipe da "Bahia Film Comission", trabalhando para trazer para o Estado novas produções cinematográficas, vídeos institucionais ou publicitários, através da viabilização de locais de filmagens, suporte e orientação a empresas e produtores do Brasil e do Mundo.

A experiência na "Bahia Film Commission" a aproximou mais da Diretoria de Audiovisual (DIMAS), da FUNCEB. Começou contribuindo com a produção do webprograma "Corte Seco". Logo, do trabalho de bastidores e preparação de reportagens, passaria à frente das câmeras, atuando, eventualmente, como repórter, sobretudo, na cobertura de outro importante projeto de difusão da DIMAS: o Cineclube Walter da Silveira.

Memória e preservação
Ainda na DIMAS, atuou como secretária da Diretoria, acumulando novos conhecimentos no encaminhamento dos procedimentos administrativos da gestão pública; passou pelo Núcleo de Difusão, prestando assessoria na divulgação, organização e no planejamento das atividades da Sala Walter da Silveira. Atualmente, Rute atua no Núcleo de Memória (NMEM), da FUNCEB, com o mesmo entusiasmo do começo de sua trajetória e certa de ter ampliado significativamente seus horizontes profissionais.

Estudante de Gestão Comercial, ela explica os motivos dessa incessante busca por aperfeiçoamento. "O que me impulsiona é a paixão pela instituição, desde a Escola de Dança, a FUNCEB com um todo, sempre achei maravilhoso a ideia de um ambiente de administração cultural, artística. Sempre desejei trabalhar num local assim. Depois que vim para DIMAS, tendo acesso ao conteúdo e analisando alguns dos projetos inscritos nos Editais da Secult, minha visão do mercado e da produção cultural baiana, sobretudo, audiovisual, ampliou-se bastante. Sou muito grata pelo bom relacionamento que tenho entre os setores, integrando isso em algumas atividades, recebendo apoio e dialogando com os mesmos para desempenho do meu trabalho. sou muito grata a esse lugar”, reforça. Rute Mascarenhas é exemplo de dedicação. Ela é prata da casa.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.